Paraíba debate implantação do Plano ABC – Agricultura de Baixa Emissão de Carbono

abc

 

abcPlano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono já é desenvolvido por dez  estados da Federação e outros seis, entre os quais a PB,  devem começar a executá-lo em breve

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento precisa implementar o Plano ABC (Agricultura de Baixa Emissão de Carbono) em todos os estados brasileiros, até 2020. Para tanto, o Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (Depros/SDC/Mapa), está trabalhando em parceria com os Grupos Gestores Estaduais (GGE) formados por representantes do setor agropecuário local, pelas Superintendências Federais de Agricultura (SFA) e coordenado pelas Secretarias Estaduais de Agricultura para que as unidades federativas elaborem seus Planos ABC Estaduais. A Paraíba dá o primeiro passo neste sentido nesta quinta-feira (02), com a realização de um seminário que acontecerá no auditório da CINEP, localizado em Jaguaribe.

A abertura do evento será realizada pelo secretário da SEDAP, Rômulo Montenegro, as 8h30. Em seguida, às 9h, haverá uma palestra sobre o Plano ABC, com Elvison Nunes Ramos, coordenador de implantação do Plano ABC Nacional. O professor e pesquisador da FGV, Felipe Serigat fala, em seguida, sobre ‘Melhores Práticas de Governança mo Plano ABC’. As 10h30, a programação prevê a realização de uma palestra sobre ‘Pesquisas para adaptação de práticas de agricultura de baixo carbono para o semiárido’, proferida pelo pesquisador da Embrapa Algodão, João Henrique Zonta. O seminário será encerrado com uma palestra sobre ‘Linhas de crédito para agricultura ABC’ que será feita por um representante do Banco do Brasil. O secretário de Recursos Hídricos da PB, João Azevedo fará o encerramento do evento.

O presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso, que participará do seminário, lembra que o compromisso de reduzir as emissões de gases de efeito estufa foi assumido pelo governo brasileiro durante a Conferência das Partes da Convenção – Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (COP-15), em 2009, em Copenhagen (Dinamarca). “Além da redução do desmatamento, o governo se comprometeu a ampliar a eficiência energética pelo uso de biocombustíveis, a oferta de hidrelétricas e fontes alternativas de biomassa, eólicas e pequenas centrais hidrelétricas, além de expandir a adoção de práticas sustentáveis na agricultura por meio de tecnologias específicas”, destaca Murilo.

Os planos ABC, segundo determinação do MAPA, devem conter o cenário agropecuário das localidades, objetivos, metas, estratégias, áreas prioritárias, quantidade de capacitações a serem realizadas e necessidades e oportunidades de cada região. Além da Paraíba, o Rio Grande do Norte e o Acre também realizarão seminários de sensibilização sobre a implantação do Plano ABC.

De acordo com Rômulo Montenegro, o seminário tem o objetivo  de mostrar aos produtores rurais, associações, entidades representativas do setor agropecuário, órgãos e instituições ligadas ao agronegócio o que é e como funciona o Plano ABC. Os estados do Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Minas Gerais, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Tocantins, Bahia, Maranhão e Amazonas já estão colocando e prática seus Planos ABC. Os estados do Pará, Rondônia, Ceará, Piauí, Sergipe e Paraná já estão com os planos prontos, aguardando a publicação oficial para que sejam implementados.