Controle Biológico

01

 

Produtos químicos, vespas e fungos. É assim que o plantador de cana-de-açúcar da Paraíba controla pragas como a broca-comum (Diatraea spp.) e a cigarrinha da Folha (Mahanarva posticata), graças ao trabalho da Estação Experimental de Camaratuba, referência no Nordeste no controle biológico de pragas, os dois “controladores naturais” são produzidos em larga escala, através de seus dois laboratórios. Atualmente, uma média de 12 milhões de Cotesia flavipes (Vespas) e de Metarhizium Anisopliae (Fungos), são produzidos todos os meses. A Estação é mantida pela Asplan, através de convênios com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) e a Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (SEDAP).

[foogallery id=”2584″]  

Os trabalhos da Estação são coordenados por Roberto Balbino e pelo engenheiro agrônomo e coordenador do Departamento Técnico da Asplan, Luis Augusto. Em 2007, segundo Edna Chaves, nos laboratórios foram produzidos um total de 30 toneladas de Metarhizium anisopliae (Fungos), destinado ao controle biológico de, aproximadamente, 8 mil hectares. Com relação à Cotesia flavipes (Vespas), foram produzidas, no ano passado, 138 mil insetos, o que corresponde a uma cobertura de 27.531 hectares. A expectativa de produção para 2008 é atingir a mesma meta de produção do ano passado. Lá, também existe um trabalho na produção do fungo Beauveria bassiana, que controla a broca ou moleque da bananeira (Cosmopolites sordidus), mas a produção deste fungo só se dá por encomenda.

Desde 1993 a Estação produz esses defensivos biológicos, e as pragas que são combatidas por eles, são corriqueiras não só na região Nordeste, mas de outros locais do País. No NE, elas costumam incidir mais entre o período chuvoso (de março a agosto), devido às condições climáticas, que ficam, nesta época, favoráveis para o surgimento e proliferação das pragas. O controle biológico destas pragas é repassado, sem custo, para os mais de 1000 produtores associados à Asplan e, em forma de parcerias, para as usinas paraibanas, bastando que estes solicitem uma visita ou mesmo façam seus pedidos através do telefone (83) 3241-6424, de 2ª a 6ª feira, das 07h00 às 13h00.

Através da Estação, os plantadores de cana-de-açúcar da Paraíba têm à disposição técnicas avançadas de controle de pragas, além de orientação para a melhoria da produção e manejo correto do solo para um melhor aproveitamento da cultura.