Produtores de cana de Pernambuco receberão auxílio do governo do estado

MuriloParaisoPresidente da Asplan afirma que se governo da Paraíba adotasse medida similar ajudaria muito os produtores de cana locais

Diante de uma conjuntura que une os efeitos de uma das piores secas já vistas no Nordeste e recursos escassos para o investimento no campo, o governo do estado de Pernambuco acaba de se mostrar preocupado com a situação dos cerca de 12 mil fornecedores de cana do estado e agir para auxiliá-los neste momento de crise liberando 4 mil toneladas de calcário agrícola e 5 mil toneladas de fertilizante para serem distribuídos. A ação foi um entendimento do governo do estado, através de sua Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária, com o Sindicato dos Cultivadores de Cana-de-Açúcar do estado (SINDICAPE) e a Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP).

Para o presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso, a ação do governo de Pernambuco será de grande ajuda para a recuperação dos campos e a manutenção da próxima safra. “É preciso que o governo da Paraíba também enxergue o setor canavieiro com mais atenção, pois ele é vital para a economia do nosso estado, que também é o terceiro maior produtor de cana do Nordeste. O governo da Paraíba deveria, inclusive, tomar a iniciativa do estado de Pernambuco como um exemplo já que as gestões são do mesmo partido e preservam uma mesma linha governista”, disse Murilo Paraíso.

Na Paraíba, a queda da safra de cana 2012/2013 já chega a 25% da produção por causa da estiagem do ano passado. Além disso, no estado, também houve uma redução de pelo menos dois meses do período de safra, visto que os produtores começaram a moer um mês mais tarde e a safra terminará um mês antes. Mas, até o momento, as iniciativas locais para salvaguardar o setor – que segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), gera em torno de 18.000 empregos formais e um total 44.000 empregos quando incluídas as atividades indiretas e dependentes da produção canavieira paraibana – são particulares ou associativas.

A entrega das 4 mil toneladas de calcário prometidas pelo governo do estado de Pernambuco será feita no mês de fevereiro e visa a correção em tempo hábil dos solos de pequenos produtores de cana pernambucanos, arrasados com a última seca. Já a distribuição das 5 mil toneladas de fertilizantes serão entregues aos fornecedores de cana em abril, na fórmula 10-00-18, conforme metodologia utilizada em anos anteriores.