Abertura oficial da safra de cana da Usina Cruangi em Pernambuco aconteceu nesta terça-feira

reinalguracao usina

reinalguracao usinaUnidade produzirá, inicialmente, apenas álcool. A previsão para a primeira safra é  de 400 mil toneladas de cana-de-açúcar

A Usina Cruangi, uma experiência exitosa que, após quatro anos fechada, reabre seu parque fabril graças a um contrato de arrendamento feito pela Cooperativa da Associação dos Fornecedores de Cana de PE (Coaf), realizou uma missa campal, nesta terça-feira (15), pela manhã, para marcar a abertura da moagem 2015/2016 da unidade. O vice-presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Raimundo Nonato prestigiou o evento que contou ainda com a presença do governador de Pernambuco, Paulo Câmara. A missa aconteceu no pátio do parque industrial da Cruangi, na Rodovia BR 408, Km 32, na zona rural de Timbaúba.

“A reativação de uma unidade industrial muda toda a realidade ao entorno da mesma, isto porque, de imediato, acontece à geração de empregos, a realização de novos negócios, enfim, abre-se o horizonte com a perspectiva de progresso de forma que comemorar a abertura da moagem na Cruangi é para todos os produtores da cana uma alegria enorme e estou muito feliz de participar deste momento”, destaca Raimundo Nonato.

O vice-presidente da Asplan,  que também participou, em julho último, de uma reunião em Timbaúba, para debater o desenvolvimento socioeconômico que trará àquela região a reativação da usina Cruangi, se comprometeu, na ocasião, a título de dar sua contribuição com a unidade, destinar 1000 toneladas de cana para moagem na usina. “Apesar dos quase 70 km que separam a unidade de minha propriedade, eu destinarei esse montante. É uma forma singela de dar uma ajuda para que tudo dê certo”, reitera Nonato.

Na retomada da produção da Cruangi foram investidos de R$ 2,7 milhões. A previsão de safra gira em torno de 400 mil toneladas. A reativação da unidade vai assegurar a reabertura de 150 postos de trabalho e a produção de 300 mil litros de álcool/dia. Quando tiver em plena atividade,  o número de empregos na Cruangi deve chegar a 1.200. Nessa primeira safra,  a usina não produzirá açúcar, somente álcool. A cana processada na Cruangi é cultivada em Vivência, Nazaré da Mata, Aliança, Condado, Itambé, Ferreiros, Tracunhaém e Itambé.

A Cruangi não é a primeira unidade industrial reativada pelos produtores nordestinos; a unidade industrial de Pumaty, que está indo para a segunda safra, gerida pelos fornecedores de cana, moeu na safra (2014/2015) o volume de 513 mil toneladas de cana e faturou R$ 50 milhões, por meio da Cooperativa do Agronegócio da Cana-de-Açúcar (AGROCAN), recompondo mais de quatro mil empregos diretos. No Estado de Pernambuco foram criadas duas Cooperativas de Produtores que cada uma assumiu uma unidade industrial. A Cooperativa Agrícola de Fornecedores de Cana (COAF) e a Cooperativa do Agronegócio da Cana-de-açúcar (Agrocan). Esta duas Cooperativas vão moer 1.5 milhão de cana de fornecedores, gerando o valor bruto de R$ 105 milhões que envolve mais de 2 mil produtores independente de cana. 

Com informações da AFCP