Asplan destaca iniciativa da UFPB que tem o objetivo de fortalecer pesquisa de diagnóstico de variedades de cana no Brejo da Paraíba

É com o objetivo de fortalecer a difusão de tecnologias que garantam mais qualidade para o cultivo e produção da cana-de-açúcar na Paraíba, que o Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) está realizado uma pesquisa com nove variedades de cana, onde oito delas não são cultivadas tradicionalmente no Brejo Paraibano, localidade-alvo das pesquisas em cana do CCA. O foco do trabalho é identificar quais variedades são mais produtivas na região do Brejo. A Associação de Plantadores de Cana da Paraíba (ASPLAN) fez o transporte das mudas até o Centro de estudo e apoia a iniciativa.

Para o presidente da ASPLAN, José Inácio de Morais, é importante que todos os envolvidos no setor sucroalcooleiro paraibano se preocupem com o fortalecimento da cultura da cana. Criar uma cadeia produtiva forte, defende José Inácio, significa investir em pesquisas e em tecnologias que guiem o setor para as melhores escolhas, inclusive das sementes. “O Centro de Ciências Agrárias da UFPB tem pesquisas de qualidade já desenvolvidas no brejo paraibano nas quais são mostradas, por exemplo, como certas variedades reagem ao nosso clima, ao nosso solo”, destaca o dirigente.

José Inácio lembra que a ASPLAN também participa de reuniões importantes para colocar em prática um projeto que tem o objetivo de gerar um diagnóstico dos municípios do brejo no que se refere à produção de cana. “Isso será importante porque com uma pesquisa dessas podemos gerar subsídios para auxiliar o Ministério da Agricultura no sentido de regulamentar o cultivo de cana na região”, disse o presidente da ASPLAN, referindo-se ao que o CCA chama de Diagnóstico Geoambiental de todos os municípios do Brejo Paraibano. O programa é semelhante ao que foi feito na cidade de Areia.