Asplan estuda propostas de aderir a cooperativas de crédito para facilitar o acesso de recursos para seus associados

estudopropostaA diretoria da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) está avaliando propostas de cooperativas que possam facilitar o acesso de seus associados a recursos para investimento na produção canavieira. Na semana passada, eles se reuniram com representantes da Unicred e na noite desta quarta-feira (17) foram conhecer detalhes de atuação da Sicoob e do Sistema OCB. Este último encontro, realizado no Verde Green Hotel, fez parte das atividades do seminário “O Futuro que Queremos”, promovido pelo Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool do Estado da Paraíba (Sindalcool) em parceria com os Sindicatos da Indústria do Açúcar e do Álcool nos Estados de Pernambuco e Alagoas (Sindaçúcar).

O presidente da Asplan, Murilo Paraíso, e o vice-presidente da Associação, Raimundo Nonato, além de fornecedores paraibanos participaram da reunião e ouviram detalhes do funcionamento e operacionalização do Sicoob, com explanação do Superintendente Executivo, Neilson Santos e do presidente do Sistema OCB/PB,  André Pacelli. “Na realidade, estamos buscando outras formas de atender as necessidades de nossos associados, que é formado em sua grande maioria por pequenos produtores, de acessão ao crédito, seja para investimento na produção ou para aquisição de máquinas e equipamentos. O objetivo é facilitar esse acesso, com menos burocracia, juros menores e prazos mais longos”, afirma o dirigente da Asplan. Segundo Murilo, a entidade tem uma vantagem mercadológica que é não ter restrição de crédito, ter solidez e dispor de capital para dar início as operações.

Seminário

Nesta quinta-feira (18), o presidente da Asplan, Murilo Paraíso, e o vice-presidente da Associação, Raimundo Nonato, o diretor José Inácio, e associados da entidade assistiram as quatro palestras do Seminário realizadas no auditório da estação Ciências quer abordaram o comércio internacional, o atual cenário sucroenergético no país e no mundo, as perspectivas futuras, produtividade e irrigação. A palestra de encerramento foi feita pelo consultor Plínio Nastari, um dos maiores especialistas do setor sucroenergético no país na atualidade.

“As perspectivas são boas, há um tendência de manutenção do preço da cana, o governo Temer retomou os diálogos com o setor, o que não aconteceu nos governos do PT, e se mostra aberto para receber informações e projetos, tanto em relação a produção, ao álcool e ainda sobre a biomassa, de forma que saímos deste evento mais otimistas. O Sindalcool está de parabéns por ter conseguido realizar um evento de alto nível, com palestrantes que trouxeram para o debate questões importantes e fundamentais para o nosso setor”, finaliza Murilo.

Além do presidente e vice da Asplan participaram ainda do Seminário  Pedro Jorge, Fernando Eduardo Filho,  José Inácio de Morais Flho, Neto Siqueira, José Jorge, Juscelino Marques, Cláudio Cunha Borges, Flaviano Ribeiro Coutinho Neto, Paulo Roberto Jacques Coutinho, Flaviano Falcone Ribeiro Coutinho e Gilvan Celso de Morais Coutinho.

André Pacelli explica como funciona o Sistema OCB Especialistas debateram o cenário atual e as perspectivas do setor no país e no mundo Murilo Paraíso, ptresidente da Asplan, durante Sewminário do Sindalcool O consultor Plínio Nastari fez a palestra de encerramento do Seminário O deputado federal André Amaral com o presidente da Asplan, Murilo Paraíso e José Inácio no evento do Sindalcool Produtores canavieiros, dirigentes da Asplan, da Unida e do Siccopb e Sistema OCB