Asplan realiza reunião com os agentes fiscais para avaliar o monitoramento da moagem da cana nas usinas

Equipe Fiscalizacao

O encontro aconteceu na última quarta-feira (03), na sede da Associação

Equipe Fiscalizacao

 

Desde o último mês de agosto, que os vinte e dois agentes tecnológicos que integram a equipe do Laboratório de Controle de Qualidade da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) estão monitorando nas nove unidades industriais, o processo de moagem da cana de açúcar correspondente à safra 2012/2013 dos fornecedores ligados à Associação. Durante toda moagem, que seguirá até fevereiro de 2013, esses fiscais acompanharão 24 horas por dia o cumprimento das normas técnicas estabelecidas entre empresas processadoras de cana e fornecedores, a fim de garantir uma avaliação precisa do peso e da qualidade da matéria-prima fornecida pelos produtores canavieiros às usinas. E, para saber como anda esse trabalho em campo a gerente administrativa da entidade, Kiony Vieira juntamente com a supervisora da fiscalização, Marlene de Lima e o consultor e engenheiro químico, Francisco Dutra, responsáveis pela capacitação e acompanhamento da equipe, realizaram na última quarta-feira (03), a primeira reunião de avaliação com os fiscais, na sede da Asplan.

Ao longo da reunião, os profissionais apontaram algumas intercorrências encontradas nas indústrias que podem afetar à qualidade da cana do fornecedor e, consequentemente, à remuneração dessa matéria-prima, como no caso de quebra de equipamentos. O consultor Francisco Dutra, que também é o químico responsável pelo trabalho desenvolvido durante a safra, disse que os equipamentos serão substituídos a um curto prazo para que a cana não venha perder na quantidade do Açúcar Total Recuperável (ATR) e no peso. “Estaremos resolvendo isso o mais rápido possível para que os nossos fornecedores não sejam prejudicado”, informou Dutra.

A gerente administrativa da entidade, Kiony Vieira lembrou a importância do monitoramento na moagem diária feito nas usinas 24 horas por dia e da elaboração dos relatórios diários, quinzenais e de resumo de safra. “Lembrando que além da fiscalização, vocês também devem elaborar os relatórios e enviar ao Departamento Técnico da Asplan (Detec) para que a gente possa acompanhar esse processo de perto”, advertiu. Finalizando o encontro a gerente disse que como forma de incentivo a Associação irá premiar o fiscal que tiver melhor desempenho no final da safra. “Vamos premiar o fiscal que tiver a melhor pontualidade e a maior pro atividade”, contou.

Marlene Maria de Lima, Supervisora da Fiscalização, frisou que o trabalho de monitoramento desenvolvido em prol dos produtores tem como objetivo garantir uma avaliação precisa do peso e da qualidade da matéria-prima fornecida por eles às usinas, sem perdas em termos de remuneração. “É um trabalho que requer muita responsabilidade porque os produtores recebem pelo ATR”.

Fonte: News Comunicação