Dirigentes da Asplan se encontram com o deputado Carimbão relator da MP 635

asplan depcarimbao

asplan depcarimbaoParlamentar esteve nesta segunda-feira (19), em João Pessoa, participando do Encontro Estadual do PROS, que aconteceu no auditório da Asplan

A continuidade do pagamento pelo governo federal da subvenção aos produtores de cana-de-açúcar, no valor de R$ 12,00 por tonelada, até o limite de 10 mil toneladas por produtor, foi incorporada ao relatório final da Medida Provisória 635/2013, graças ao empenho de dirigentes de entidades ligadas ao setor que lutaram muito para que isso concretizasse e, também, ao esforço de alguns parlamentares que acreditam ser essa iniciativa importante para a classe produtora canavieira do Nordeste. No campo político, um dos agentes que fizeram a diferença para que o pleito dos produtores constasse no relatório final da MP, apresentado no último dia 07, na comissão mista, foi o deputado Givaldo Carimbão (PROS-AL). A iniciativa do parlamentar alagoano renovou as esperanças da continuidade do pagamento da subvenção.

Nesta segunda-feira (19), o parlamentar veio prestigiar o Encontro Estadual de seu partido em João Pessoa, realizado no auditório da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan). Os dirigentes da Associação, assim que tomaram conhecimento da presença de Carimbão, fizeram questão de ir abraçar o deputado e agradecer o empenho dele em prol da solicitação da inclusão do pleito do setor na MP 635. “O papel de Carimbão foi fundamental para que nosso pleito pudesse ser incluído na matéria, abrindo a possibilidade da continuidade do pagamento da subvenção”, argumenta o presidente da Asplan, Murilo Paraíso, que junto ao diretor da entidade, Oscar Gouvêa, fizeram questão de abraçar e agradecer o parlamentar alagoano.

Segundo o presidente da União dos Plantadores de Cana do Nordeste (Unida), Alexandre Morais, Carimbão abraçou a causa de tal forma, que conseguiu até o apoio da Casa Civil ao pleito dos canavieiros do Nordeste. “O aval do governo federal na autorização da subvenção é um fato inédito, já que nas outras edições da subvenção, as votações aconteceram sem o apoio oficial do governo no Congresso e isso nos devemos ao Carimbão e também ao senador Renan Calheiros que foram buscar apoio à nossa causa e conseguiram”, destaca Alexandre. Ele lembra que o setor perdeu o prazo para incluir emendas na MP e que se não fosse essa iniciativa do parlamentar alagoano, a subvenção não teria como continuar esse ano. A MP deve ser apreciada até o dia 02 de junho, prazo final de sua validade.