Fiscais que monitoram a moagem da cana lançarão dados da safra em APP e fornecedor poderá acompanhar tudo pelo celular

Os agentes tecnológicos que atuam no monitoramento da moagem da cana-de-açúcar dos fornecedores ligados à Associação de Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) passaram por treinamento nesta última segunda-feira (29). A reunião teve como objetivo demonstrar o uso de um novo aplicativo desenvolvido exclusivamente para facilitar a fiscalização dos agentes nas usinas sucroalcooleiras e agilizar o compartilhamento de dados da safra. A ferramenta garante aproximar o fiscal de campo com a supervisão técnica, padronizar informações e tornar o acompanhamento mais eficiente do ponto de vista do fornecedor e da Asplan.

De acordo com o desenvolvedor da plataforma o empresário Mário Magalhães, da Web Módulos, durante o treinamento, além de mostrar cada ambiente virtual da ferramenta, foi repassado aos agentes as principais funções do aplicativo: o de fiscalizar a moagem através de alimentação dos dados feita pelos agentes que estão nas usinas verificando tudo (peso da cana e nível de ATR – que representa a qualidade da cana e sua capacidade de ser convertida em açúcar ou álcool), e o de verificar, uma vez que o ATR da cana – Açúcar Total Recuperável – obtido nas usinas também será lançado no aplicativo e, no mesmo instante, esse ATR será comparado aos dados que o laboratório da Asplan já possui.

“Os fiscais acompanharão a leitura do ATR feita nas usinas e essa informação vai para o aplicativo. Essa informação também será verificada através da comparação com os dados do laboratório da Asplan. Teremos, portanto, um banco de dados com gráficos e tabelas unificado e alimentado imediatamente, com os fiscais in loco, lançando esses números e outra informação que chame a atenção durante a moagem”, explicou Mário Magalhães.

A ferramenta, portanto, segundo o desenvolvedor, garante uma padronização junto à velocidade de compartilhamento desses dados, uma vez que antes isso era feito através de planilhas pelos fiscais, o que demandava certo tempo, a depender do grau de agilidade de cada fiscal. “Agora as informações são visualizadas pelo fornecedor até mesmo pelo celular, de forma imediata, quase como se estivessem na usina”, comentou Mário, acrescentando que isso também serve para as ocorrências que podem acontecer.

“Quando acontece algo errado o fiscal tem o dever de avisar à Asplan e ao fornecedor. Antes isso dependia de telefone e o responsável tinha que ir até o local para ver o livro de ocorrências. Agora, o fiscal colhe evidencias fotográficas, o alerta é feito imediatamente, e a intervenção é feita, ou seja, conseguimos antecipar os procedimentos”, explica.

Japungu e Giasa já iniciaram moagem

Ao todo, 16 agentes tecnológicos usarão a ferramenta nas oito usinas na Paraíba que moem a cana de fornecedores da Asplan. Uma parte dos fiscais começou nesta quinta-feira (01) a usá-la nas usinas Japungu e Giasa, as primeiras usinas a iniciarem seu processo de moagem da safra 2019/2020. Segundo o Supervisor Técnico da Asplan, Edvam Silva, na próxima semana também será iniciada a moagem em duas ou três usinas e assim por diante. Na Paraíba esse processo de moagem da cana dura uma média de 6 meses.

“Todos os fiscais já atuaram na safra passada e já sabem qual o seu papel durante a moagem. Antes de iniciar o trabalho, sempre fazemos um treinamento. Esse ano fizemos um na semana passada só para relembrar alguns itens e agora esse treinamento para a utilização do aplicativo”, destacou Edvam, acrescentando que a ferramenta é de fácil manuseio e vai ajudar bastante o acompanhamento da safra feito pela Asplan.

Conforme frisou, a plataforma, além de promover o acesso rápido às informações,  também funcionará como um arquivo, onde o fornecedor também terá à sua disposição dados sobre sua propriedade a exemplo do mapeamento. Para o presidente da Asplan, José Inácio de Morais, a novidade foi muito bem recebida por todos os fornecedores, haja vista a importância do trabalho de fiscalização dos agentes e da necessidade que o fornecedor tem de estar acompanhando tudo. “A precisão no trabalho dos fiscais, a partir de uma avaliação correta, assegura uma remuneração justa pela matéria-prima, por isso é de grande relevância esse processo para todos nós do setor e agora, com o aplicativo, tudo tende a ser mais eficiente do ponto de vista da velocidade, do compartilhamento e da confrontação de informações”, disse o dirigente, satisfeito com o novo método..