Governo Federal corrige erro e libera subsídio ao produtor canavieiro

Alexandre-Lima--presidente-da-UnidaAlém de rever o veto ao pagamento da subvenção, o Governo ainda vai fazer o pagamento com um valor maior que a proposta anterior

Depois de ser vetado pela presidente Dilma Rousseff, o pagamento da subvenção destinada ao produtor canavieiro do Nordeste que será utilizado para amenizar o prejuízo de mais de 30% na queda da produção da safra, em função da maior seca dos últimos 40 anos, o governo federal retrocedeu e decidiu liberar a subvenção econômica destinada a classe produtiva canavieira. Além de autorizar o pagamento, o valor do benefício também será reajustado. Ao invés dos R$ 10, 00 anteriormente proposto, o valor passou para R$ 12,00 por tonelada de cana fornecida, até o limite de 10 mil toneladas por produtor.

A decisão anunciada hoje (16), á tarde, pela equipe econômica do governo aos dirigentes da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), durante reunião realizada, no Ministério da Fazenda, em Brasília, deixou aliviados os produtores nordestinos. “Ainda bem que o governo reconheceu o erro, reavaliou a sua posição e entendeu que a subvenção é um benefício justo e que vai contribuir com o equilíbrio de uma atividade fundamental para a economia do Nordeste”, comemorou o presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso.

Segundo o presidente da Unida, Alexandre Lima, o governo se comprometeu em inserir o subsídio com valor reajustado na medida provisória 613, ou na MP 603. Alexandre disse ainda que a reunião desta quinta-feira à tarde foi fundamental para sensibilizar o governo sobre o caos em que vive o setor canavieiro por conta da longa estiagem. “A dimensão do impacto e do prejuízo foi apresentada detalhadamente, contribuindo para que o governo pudesse reparar o que seria um significativo erro com o segmento agrícola”, afirma o dirigente da Unida que foi o principal interlocutor das entidades de classe com o governo. Na reunião desta tarde, ele estava acompanhado dos presidentes do Sindicato dos Cultivadores de Cana de Pernambuco e da Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas, Gerson Carneiro Leão e Lourenço Lopes, respectivamente.

A interlocução entre o governo e os representantes do setor canavieiro foi feita pelo deputado Pedro Eugênio (PT-PE), autor da emenda parlamentar favorável à subvenção na Medida Provisória 587, vetada pela presidente Dilma, no último dia 8. Ainda segundo Alexandre Lima, apesar da mudança de posição do governo, os produtores manterão a manifestação marcada para inauguração da Arena Pernambuco, na próxima segunda-feira (20), que contará com a participação da presidenta Dilma. “A mobilização continua, mas agora com outro tom, pois queremos que a presidente escute o clamor do povo nordestino que ainda sofre por conta da seca”, finaliza Alexandre.