Governo Federal promete reavaliar pagamento da subvenção da cana

dilma pe

dilma pePresidenta Dilma Rousseff disse, em Recife (PE), que em três semanas definirá a questão do pagamento ou não da subvenção referente a safra 2012/2013

Durante encontro reservado com dirigentes canavieiros, na última sexta-feira (21), na sede da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco, a presidenta Dilma Rousseff reconheceu a importância do pagamento da subvenção da cana para o equilíbrio da atividade no Nordeste e disse que nas próximas três semanas o Governo Federal irá se posicionar sobre o assunto. A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, que estava presente no encontro, foi designada pela presidenta a ser a interlocutora do governo junto aos produtores. O presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso participou da reunião junto com o dirigente da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), Alexandre Lima e da Associação do Norte Fluminense dos Plantadores de Cana, Eduardo Crespo.

“A presidenta fez um aceno que reacendeu a esperança do pagamento”, afirma Murilo Paraíso, lembrando que a grande maioria dos beneficiados com a subvenção, que equivale a R$ 12,00 por tonelada de cana fornecida na safra 2012/2013, será pequenos agricultores. “A nossa associação, por exemplo, é formada em sua imensa maioria por micro e pequenos produtores, cujo faturamento médio gira em torno de R$ 800,00, daí a importância socioeconômica deste pagamento que serve para amenizar as perdas com a seca e equiparar os custos de produção do Nordeste em relação ao Sul/Sudeste”, destaca Murilo. Cerca de 30 mil produtores têm direito a subvenção que está respaldada na lei 12.999, de julho de 2014.

Durante a reunião, o presidente da Unida lembrou a importância do governo dar uma resposta rápida sobre o pagamento. “A lei expira no final do ano, e o governo precisa ser ágil, pois há todo um processo burocrático e logístico para se pagar o benefício”, argumentou Alexandre Lima. Foi depois dessa fala de Alexandre que a presidenta Dilma estabeleceu o prezo de reposta em até três semanas. Os governadores de Pernambuco (Paulo Câmara) e de Alagoas (Renan Filho) também acompanharam a reunião e apoiaram o pleito dos canavieiros, assim como o presidente do Sindicato dos Cultivadores de Cana do Estado de Pernambuco, Gerson Carneiro Leão.