Homenagens a estudiosos da área, palestras e lançamento de Manual marcam comemoração dos 30 anos do DETEC da Asplan

hdetec1

hdetec1Uma tarde de homenagens e muita informação. Assim foi o evento de comemoração dos 30 anos do Departamento Técnico (Detec) da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) realizado nesta terça-feira (18), no auditório da entidade. Fundado em novembro de 1984, o Detec nasceu com a finalidade de apoiar e prestar assistência técnica aos produtores de cana-de-açúcar da Paraíba. O evento foi prestigiado por plantadores de cana, autoridades ligadas ao setor sucroenergético, pesquisadores e industriais do açúcar. O público assistiu às palestras técnicas, bem como também acompanhou a apresentação do Manual Técnico – Técnicas agrícolas sustentáveis para o cultivo de cana-de-açúcar, lançado pela Asplan.

O evento começou no início da tarde com uma homenagem a três estudiosos da área de cana-de-açúcar com a entrega de uma placa de agradecimento ao pesquisador Hermes Ferreira Barbosa, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA/ SFA – PB); o pesquisador Dr. Francisco de Assis Dutra Melo, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE); e o consultor técnico, Bennon José Barros Barreto, que possui larga experiência em cana-de-açúcar, tendo participado, inclusive, do início da fundação de várias usinas paraibanas. As placas foram entregues pelo Diretor Adjunto da Asplan, José Inácio de Morais; pelo Diretor Tesoureiro, Oscar de Gouvea; e pelo presidente da Asplan, Murilo Paraíso, respectivamente.

Ao entregar a placa a Francisco Dutra, o Diretor Tesoureiro da Asplan, Oscar de Gouvêa falou da alegria em homenagear as pessoas que contribuem com o trabalho da entidade e frisou que os resultados são indescritíveis. “Ninguém sabe a riqueza que o Detec gerou para o produtor de cana ao longo desses anos. O auxílio do departamento é extremamente importante para o desenvolvimento da atividade. Foi, portanto, uma grande iniciativa a criação desse departamento há 30 anos”, comentou o dirigente. Já um dos homenageados, Bennon Barreto, frisou a forma silenciosa com que a Asplan e o Detec trabalham.

“O Detec e a Asplan atuam doando variedades, fazendo orientações ao produtor, só que fazem isso de forma silenciosa, sem aparecer muito”, comentou Bennon, frisando que, por esse motivo, a Asplan também é chamada carinhosamente pela classe de “casa do produtor de cana”. “Aqui estamos à vontade”, disse ele, que já completou mais de 50 anos de experiência profissional e se sente seguro para opinar sobre o setor e a Asplan.

Sobre o Detec

Encerradas as homenagens, o engenheiro agrônomo e coordenador técnico do Detec, Vamberto de Freitas, falou sobre as conquistas do Departamento e fez alguns agradecimentos. “Ao longo desse tempo uma das ações mais relevantes do Detec foi a implantação do Sistema de Pagamento de Cana-de-açúcar pelo teor de sacarose. Para enfrentar esse desafio, o Detec teve que se estruturar e estabelecer parcerias com órgãos ligados ao setor, como o PLANALSUCAR, Universidades, Governo do Estado, Ministério da Agricultura, dentre outros”, disse o engenheiro, lembrando também que com essa mudança no pagamento da cana, o departamento teve que esclarecer e orientar os seus associados  para que a sua produção obtivesse melhores resultados.

Hoje o Detec desenvolve inúmeras atividades, tais como, monitoramento da qualidade da matéria prima nos laboratórios de sacarose das unidades industriais, elaboração de projetos de custeio e investimento agrícolas, produção de controladores biológicos, distribuição de cana semente aos associados, geoprocessamento de imóveis rurais, operacionalização da subvenção e Cadastro Ambiental Rural – CAR. “Quero aqui agradecer a todos os ex-presidentes pela coragem de enfrentar os momentos difíceis e diretores aqui presentes pela extrema dedicação e capacidade. Todos souberam superar os momentos de dificuldade que enfrentamos”, afirmou Vamberto.

Ele também parabenizou o presidente da Asplan, Murilo Paraíso. “Quero lhe agradecer penhoradamente por você ter atendido as nossas solicitações sobre mudanças necessárias para a melhoria do nosso departamento e por proporcionar melhores condições de trabalho para atender aos nossos associados”, elogiou o engenheiro.

Palestras

A primeira foi a do Engenheiro Químico da UFRPE, Francisco de Assis Dutra Melo, que falou sobre o Relatório Técnico Safra 2013/2014. Em sua apresentação, Dutra destacou a necessidade de se fortalecer a matriz energética na Paraíba. “Não temos perfil nenhum de produção de etanol. Há safras em que a produção alcança altos patamares e em outras ela despenca. Devemos lutar pelo equilíbrio da oferta, bem como por políticas públicas de incentivo à produção de cana”, disse o pesquisador, mostrando um gráfico desse desempenho.

O professor Edmilson Jacinto Marques, também da UFRPE, falou em seguida. Ele provou a eficácia da Cotesia flavipes no controle biológico das brocas da cana-de-açúcar Diatraea saccharalis e D.flavipennella. No final da tarde, o público assistiu à apresentação do professor Dr. Emídio Cantidio Almeida de Oliveira – UFRPE, sobre “Avaliação da Fertilidade do Solo: Uso de Corretivos e Adubação da Cana-de-açúcar”. Ele discorreu sobre a necessidade de correção do sol para em seguida utilizar macro e micronutrientes para alcançar níveis de produção satisfatórios. Assim, ele mostrou diversas fórmulas de correção do solo utilizadas de forma correta e outras nem tanto, por falta de orientação técnica e de avaliação do solo. “Sempre devemos fazer a análise do solo antes de realizar qualquer alteração nele”, discorreu Emídio, demonstrando firmeza, domínio e conhecimento da matéria.

Manual Técnico e encerramento

hdetec2Por fim, o Dr. Djalma Euzébio Simões Neto – EECAC/UFRPE, discorreu sobre o Manual Técnico – Técnicas Agrícolas Sustentáveis para o Cultivo de Cana-de-Açúcar, lançado pela Asplan. A edição traz a equipe técnica do Detec, formada pelos engenheiros agrônomos, Vamberto de Freitas e Luís Augusto de lima, e pelo tecnólogo em geoprocessamento, Thybério Luna, bem como o Engenheiro Químico da UFRPE, Francisco de Assis Dutra Melo, e o engenheiro Agrônomo e consultor técnico Bennon Barreto, como responsáveis pela publicação.

O presidente da Asplan, Murilo Paraíso, destacou a felicidade de lançar duas publicações em um único ano. “Duas coisas aconteceram nesses últimos meses e que me deixaram muito feliz: a publicação ‘Asplan – História e Desafios’ e agora esse manual técnico que vai ajudar muitos produtores de cana. O fornecedor precisa dessas informações para melhor desenvolver sua cultura”, frisou o dirigente, sugerindo, inclusive, que na segunda edição da publicação, o professor Emídio Cantidio escreva um artigo sobre correção de solo. Encerradas as palestras, Murilo convidou a todos para o coquetel no hall do auditório, onde os convidados tiveram acesso ao manual de orientações gratuitamente.