Investimentos sem estratégia e objetivos impossíveis causam estresse financeiro tanto quanto a própria falta de dinheiro

Afirmação foi feita pelo gestor financeiro pessoal, Rodrigo Leone, durante palestra para associados da Asplan, na manhã desta quinta-feira (04)

Quem assistiu a palestra “Estresse financeiro: causas, consequências e solução” proferida na manhã desta quinta-feira (04), pelo gestor financeiro pessoal, Rodrigo Leone, saiu do evento com informações importantes sobre como conduzir as finanças pessoais para evitar o estresse financeiro. Outra constatação é que o consultor conseguiu desconstruir um mito popular de que somente a falta de dinheiro é que gera o estresse financeiro. “O endividamento é, sem dúvida, uma das causas do estresse financeiro, mas, ter dinheiro e não ter estratégias adequadas de investimento também causa o estresse financeiro”, destacou o palestrante durante sua apresentação, realizada no auditório da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan).

A abertura do evento, cujo objetivo foi melhor orientar os associados e colaboradores da Asplan, em relação à administração das finanças pessoais, foi feita pelo vice-presidente da entidade, Raimundo Nonato, que além de dar as boas-vindas ao palestrante falou da importância do tema a ser debatido. “Essa palestra explora um tema diferente do que a gente está acostumado a ver aqui, cujos eventos são todos técnicos e voltados à realidade de nosso dia a dia, mas, ela tem uma importância vital que é nos orientar em num aspecto fundamental, que é as nossas finanças, afinal, sem equilíbrio e tranquilidade não se consegue trabalhar, nem produzir satisfatoriamente”, destacou Nonato.

Segundo o palestrante, a administração das finanças pessoais requer todo um processo, que inclui dedicação, acompanhamento, planejamento, instrumentos que meçam o desempenho e, sobretudo, foco. “Decisões financeiras erradas, que fazem a pessoa entrar no ciclo vicioso do endividamento, ou mesmo em investimentos mal planejados, ou seja, sem estratégia, causam estresse financeiro, assim como, traçar metas com objetivos impossíveis”, disse o consultor. Segundo Rodrigo Leone é preciso ser eficaz, eficiente e efetivo para ter uma vida pessoal equilibrada do ponto de vista financeiro. “Ela é eficaz quando os objetivos são alcançados, eficiente quando se atinge os objetivos sem muitos sacrifícios e efetiva quando é possível de ser posta em prática”, reiterou ele, lembrando que esse equilíbrio não nasce da noite para o dia, e sim, faz parte de todo um processo.

Ainda de acordo com o consultor, um dos piores estágios do estresse financeiro é quando as pessoas precisam recorrer a empréstimos financeiros para quitar dívidas, ficam inadimplentes, sem crédito e entram num ciclo vicioso de desgaste físico e mental. “Muitas pessoas que chegam nesse ponto não reconhecem seus limites, responsabilidades e necessidades. Usam inadequadamente o cartão de crédito, rolando dívida com juros altíssimos e mantém hábitos consumistas com despesas exageradas e desnecessárias”, destacou o consultor, complementando que em situações como essa, a pessoa normalmente vai ficar insatisfeita, com menor foco no trabalho, com a moral reduzida,mais vulnerável e infeliz e até depressiva, o que vai comprometer também o convívio social com familiares e amigos. “Neste estágio é preciso, de fato, a ajuda de um profissional para superar o estresse financeiro e recuperar o equilíbrio”, destaca Rodrigo Leone.

“Saber lidar com o dinheiro, a fim de ter uma vida financeira equilibrada não é fácil, mas é possível. Na nossa atividade, por exemplo, tem muitos produtores que têm uma safra boa, mas se esquecem que ganham quatro, cinco meses para sobreviver 12 meses e esse comportamento, fatalmente, é prejudicial”, afirmou o vice-presidente da Asplan, Raimundo Nonato no final da palestra, reiterando a importância do tema abordado. Uma sessão de autógrafos dos livros “Conta Certa” e “Empreendedor Total”, seguido de um lanche no hall da Asplan encerraram o evento