Plano Agrícola e Pecuário para a safra 2014/2015 vai disponibilizar R$ 156,1 bilhões para financiar produção agrícola e pecuária do país

dilmaveta

dilmavetaEsse valor representa um aumento de quase 15% em relação aos recursos disponibilizados para a safra passada

O anúncio feito na manhã desta segunda-feira (26), pela presidenta Dilma Rousseff, de que o Plano Agrícola e Pecuário para a safra 2014/2015 vai disponibilizar R$ 156,1 bilhões para financiamento da produção agrícola e pecuária do país, animou os produtores paraibanos, especialmente, os de cana-de-açúcar. “O volume de recursos disponibilizados é considerável e as taxas de juros bem atrativas, de forma que, o produtor que tiver adimplente, com certeza, optará por aproveitar essa disponibilidade de crédito”, destaca o presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso.

Segundo o dirigente da Asplan, o problema é que boa parte dos produtores ou estão inadimplentes ou estão com medo de assumir novos compromissos. “Nas últimas safras, tivemos muitas perdas e a renda ficou comprometida, além disso, atualmente, os custos de produção são maiores que o da comercialização da cana de forma que, esse crédito do Plano Agrícola chega em boa hora, a questão é saber quem vai poder ter acesso a ele”, afirma Murilo.

As taxas de juros do Plano, de fato, são muito atrativas. Na safra 2001/2002, os juros variaram de 8,75% a 10,75%/ano. O plano atual traz juros ainda mais reduzidos, variando entre 4% e 6,5%. Segundo pronunciamento da presidenta, não faltará crédito para os produtores. “Se todo o crédito previsto for utilizado, nós vamos oferecer mais recursos,” afirmou Dilma, durante o programa semanal ‘Café com a Presidenta”. Ela disse ainda que o Moderfrota, programa do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social que disponibiliza crédito acessível para a compra de máquinas novas, foi reativado.