Presidente e diretoria da Asplan se reúnem com representantes do Santader para debater futura parceria em operações de crédito

Com foco em expansão no Norte e Nordeste, bons produtos, com uma proposta voltada para o setor do agronegócio e com uma estratégia de mercado focada em todas as linhas de crédito e investimento, o Banco Santander está disposto a também ocupar um espaço no setor do agronegócio que antes era restrito a bancos oficiais e privados com maior tradição nesse nicho de mercado. Na manhã desta segunda-feira (17), o gerente geral da Agência Santander Select João Pessoa, Pablo Montibeller e o assessor técnico do banco, José Nunes, se reuniram com o presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais e diretores da entidade para apresentar a instituição financeira e prospectar futuros negócios com os associados da Asplan.

“Qualquer instituição financeira que tenha o objetivo de ampliar o acesso ao crédito ao produtor canavieiro local será bem-vinda, pois aqui não defendemos, nem privilegiamos nenhum banco. O que queremos são taxas acessíveis, linhas de crédito e financiamento disponíveis, prazos, desburocratização no processo e, sobretudo, relacionamento”, destacou o presidente da Asplan no início da reunião. José Inácio lembrou que a Asplan já tem relacionamento com o Banco do Brasil que, segundo ele, continua sendo o carro-chefe do crédito rural no país, com o BNB, que para ele ainda tem uma atuação restrita que esbarra em melhores condições de negociação, com o Bradesco que tem uma agência Prime com crédito direto para o setor em João Pessoa, e mais recentemente com o Sicred. O presidente da Asplan lembrou ainda que o Bradesco financia o setor canavieiro na Paraíba há 15 anos com taxa de inadimplência zero.

José Inácio disse ainda que todos os associados da Asplan, atualmente, cerca de 1.500 produtores, têm à disposição um departamento, credenciado junto às instituições financeiras, que formata o projeto de financiamento sem custo adicional para o produtor. “Isso é uma vantagem e tanto para os nossos associados que não têm que pagar entre 1% e 2% do projeto e para os bancos é um fator facilitador, pois o produtor já chega na agência com seu projeto pronto, dentro dos parâmetros do mercado financeiro”, destacou ele, lembrando que a concorrência entre as instituições é salutar para o produtor. “Aqui, nós observamos o banco que melhor se adequa as nossas necessidades e condições. Aquele que se sobressair, terá o produtor como cliente”, reiterou José Inácio, lembrando que a Asplan também tem um consultor financeiro -Cristiano Aguiar – que fica à disposição dos associados para orientações técnicas sobre investimentos e crédito.

“O Santander adotou uma estratégia de mercado para crescer em volume e rentabilidade, principalmente, nas praças do Norte e Nordeste, e dentro deste modelo está ampliando sua atuação nestas regiões e junto ao setor produtivo, focado em todas as linhas de crédito e investimento”, explicou Pablo Montibeller. No final da reunião, o diretor do Departamento Técnico da Asplan (Detec), Neto Siqueira, sugeriu aos representantes do Santander que o banco fizesse o lançamento de suas linhas disponíveis na abertura da safra na Paraíba, marcada para agosto. “O Santander fez isso em um evento em Ribeirão Preto e achamos muito interessante. Que tal fazermos algo local aqui”, sugeriu Neto. A proposta, segundo o gerente, será levada a direção do banco para ser avaliada sua viabilidade. Segundo José Inácio, após receber as propostas do Santander, a Asplan vai fazer uma seleção de produtores interessados e encaminhar ao Banco que fará, a partir daí, os procedimentos de praxe. “Estamos aqui para facilitar a vida do produtor e o que for bom para ele vamos abraçar e indicar”, finalizou o presidente da Asplan.