Produtores de cana da Paraíba também participarão de audiência pública na ALPB sobre a seca que atinge o estado

A cultura é uma das que mais empregam mão de obra no estado. A seca pode prejudicar a safra e, consequentemente, os empregos gerados a partir dela

 

            
Preocupados com a ausência de chuva causada pela massa de ar seco que insiste em permanecer no Nordeste brasileiro, os produtores de cana da Paraíba participarão, nesta terça-feira (08), de uma audiência pública Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) para discutir o problema e levantar soluções, inclusive econômicas, para diminuir os efeitos da seca no estado. A sessão, prevista para ter início às 15h, no plenário da Casa, é uma ação da Frente Parlamentar da Seca proposta pelo deputado estadual Francisco Quintans (PSDB) e instalada pelo presidente da ALPB na última sexta-feira (04). De acordo com o deputado, da audiência sairá um relatório para ser entregue a Ministra do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Tereza Campelo.

Uma reportagem veiculada em rede nacional neste último sábado (05) e que retratou os números divulgados pelo Ministério da Integração Nacional destacou que a seca na Região Nordeste já deixou mais de 500 cidades em situação de emergência. A falta de chuva secou rios, inutilizou lavouras e fez o preço de diversos alimentos, como o milho e o feijão, disparar na região. Só na Paraíba já são 171 municípios em estado de emergência em função da seca. Para o deputado Francisco Quintans, que convidou os produtores de cana e outros agricultores a participar da discussão da Assembleia, é preciso buscar o apoio dos governos para minimizar os impactos da seca, que é um fenômeno natural da região.
Em entrevista à TV Assembleia, Quintans afirmou que pelo menos 51% da população economicamente ativa na Paraíba tem vinculação com o setor rural, residindo ou não no meio rural, e quando um fenômeno natural como a seca acontece, as autoridades devem se preocupar.  “Sabemos da fragilidade do setor quando acontece uma seca dessas. Ela já está fazendo, por exemplo, com que cidades sofram colapso com o abastecimento de água para beber”, afirmou o parlamentar, defendendo que os governos municipais, estaduais e federais ouçam os produtores e destinem a eles linhas de crédito mais acessíveis. “Os governos têm que acudir o produtor e o homem do campo com linhas de crédito razoáveis. Eles têm que sentar numa mesa e ouvir, não esses teóricos que só fazem filosofar e nada trazem de real para os campos, mas os produtores”, disse Quintans.
O presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso, louvou a iniciativa dos deputados. “Precisamos debater a seca que está em curso porque do contrário não teremos safra no ano que vem e isso gerará desemprego, principalmente em se tratando de cana, que é um dos segmentos agrícolas que mais empregam na Paraíba. Além disso, a seca também traz o aumento de vários itens que vão para a mesa do brasileiro todos os dias, então, de uma forma ou de outra, o problema atinge a todos e a Assembleia está de parabéns por chamar essa discussão”, declarou Murilo, confiando que da audiência saia um relatório completo da situação para ser entregue a Ministra do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Tereza Campelo.
 
News – Assessoria & Comunicação
Jornalista responsável: Eliane Sobral (DRT-PE 1993)
Repórteres:
Eliane Sobral (DRT-PE 1993)
Juliana Lichacovski (DRT-PB 2917)
Lusângela de Azevedo (DRT 4744/02-40)
Contato: (83) 3221-8829/ 3221-8830
e-mail: esnews@terra.com.br/news@newscomunicacao.com.br
Twitter: @Elianenews
www.newscomunicacao.com.br