Produtores de cana do NE debatem sobre o cenário econômico brasileiro na Norcana 2012

Evento promovido pela Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco teve a participação de membros da Asplan PB

O setor sucroalcooleiro e sua atual situação no cenário econômico nacional foi o foco da primeira edição da 1ª Feira dos Produtores de Cana – Norcana 2012 que aconteceu entre os dias 17 e 19, na sede da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFPC), em Recife. O evento promovido pela AFPC por meio da Cooperativa de Produtores (COAF) reuniu vários produtores de cana, parceiros, industriais, órgãos de classe e diversas autoridades do setor privado e público. O presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso e os diretores Raimundo Nonato, Francisco Siqueira de Lima Neto, José Inácio e Oscar Gouvêa também foram conferir as novidades e oportunidades de negócios com preços diferenciados para o pequeno, médio e grande produtor.

“Este foi o primeiro grande evento regional voltado exclusivamente às necessidades do produtor de cana. Estamos bastante satisfeitos com a oportunidade de fazer bons negócios ligados a insumos e maquinário, além das informações que tivemos com quem trata de questões do segmento a nível nacional”, enfatizou o dirigente da Asplan, destacando que a realização anual do evento deve contribuir para movimentar o setor sucroenergético da região.

Durante a cerimônia de abertura, o presidente da AFCP, Alexandre Andrade Lima, fez uma análise do momento atual vivido pelo setor. “Hoje o produtor de cana é penalizado de várias formas, vem sofrendo muito. Está difícil exercer a atividade no país. Precisamos buscar alternativas, ter novos horizontes”, afirmou ele. Em seguida o público assistiu à apresentação do ex-ministro e atualmente embaixador Especial da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) para o Ano Internacional do Cooperativismo, Roberto Rodrigues. O ex-ministro de Lula enfatizou a força do agronegócio no cenário nacional, que segundo ele, em 2011 foi responsável por 22,1% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. “O Brasil tem apenas 7% de terra fértil e ainda enfrenta muito preconceito com o trabalho rural por puro desconhecimento da importância e relevância do setor”, disse Roberto Rodrigues.

No segundo dia do evento foram exibidas duas palestras: a primeira foi  de José Geraldo da Massey Ferguson fabricante de tratores, que expôs a nova técnica da canteirização, que consiste em preparar uma espécie de canteiro em fila dupla para o plantio da cana-de-açúcar, fazendo o preparo do solo apenas nessa área. Logo após, o empresário José Guilherme, da indústria de máquinas agrícolas do Norte e Nordeste Implanor, falou da sua luta no desenvolvimento de uma cortadeira de cana apropriada para cortar cana em encostas, com declividade até 38º. “A máquina corta até 200t por dia, quando colocada em operação ela vai se tornar uma alternativa viável para o corte dos terrenos mais íngremes”, explicou ele.

As mudanças climáticas e seus impactos na agricultura foram os temas expostos no último dia de evento, pela climatologista do Instituto Agronômico de Pernambuco, Francis Lacerda – do Laboratório de Meteorologia de Pernambuco (Lamepe). Já os estandes de negócios estiveram abertos todos os dias da Feira dos Produtores de Cana-de-Açúcar com as últimas novidades do setor, sem dúvida, uma ótima feira, um grande evento.

Fonte: News Comunicação