Produtores de cana pedem ao senador Renan Calheiros que interceda junto ao governo federal para liberação de recursos da subvenção

renan calheiros

renan calheirosOs presidentes da União Nordestina de Produtores de Cana de Açúcar (Unida), Alexandre Lima, da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso, acompanhados de representantes de entidades ligadas ao setor canavieiro do Nordeste e do Rio de Janeiro, se reuniram com o presidente do Senado, Renan Calheiros, nessa terça-feira (11). Eles foram solicitar do senador que ele interceda junto ao Governo Federal para que o pagamento da subvenção possa ser efetuado.

O pagamento da subvenção da cana, referente a compensação das perdas com a seca na safra 2012/2013, foi aprovada pela Lei 12.999/2014, em junho do ano passado, e respaldado pela Medida Provisória 666/2014, mas o pagamento, que equivale a uma ajuda de R$ 12,00 por tonelada de cana, até o limite de 10 mil toneladas por produtor, ainda não foi realizado, sob a alegação de que o governo não dispõe de recursos para honrar esse compromisso, por causa da crise econômica. 23 mil produtores de cana-de-açúcar do Nordeste e do Rio de Janeiro estão contemplados na MP.

Segundo o senador alagoano, ele aproveitará um encontro que terá com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, nesta quarta-feira (12), para cobrar uma sinalização sobre a subvenção. Durante a reunião, Renan Calheiros explicou que o Congresso vem trabalhando com a equipe econômica do governo para encontrar soluções que levem à retomada do crescimento. “Conheço a realidade do Nordeste e a importância do setor canavieiro para o crescimento e desenvolvimento da região, por isso, sempre que tenho oportunidade estou buscando encontrar saídas para que o pagamento da subvenção seja concretizado”, disse Renan.

Além dos presidentes da Unida e da Asplan, também participaram da reunião desta terça-feira, em Brasília,  o dirigente da Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas (Asplana), Edgar Antunes Filho. Destes, o presidente da Unida, Alexandre Lima, é o único que permanece em Brasília para acompanhar o desdobramento da reunião desta quarta-feira. “Vamos torcer para que o senador consiga sensibilizar o ministro Levy sobre a nossa situação e a importância desse pagamento o quanto antes”, finalizou Murilo Paraíso.