Safra 2012/2013 dos fornecedores de cana do Estado registra uma diferença de quase 30% em relação ao ano anterior

safra20122013

safra20122013A safra total de cana-de-açúcar do Estado também registrou queda em relação a safra passada

A produção de cana-de-açúcar referente à safra 2012/2013 dos 1.700 fornecedores ligados à Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) contabilizou um resultado final de 2 milhões e 292 mil toneladas, referente a 43,64% de toda a produção paraibana, que foi de 5 milhões e 252 mil toneladas. Os 53,36% restantes correspondem à cana própria de usinas e de seus respectivos acionistas. O processo de moagem no estado foi iniciado em agosto do ano passado e terminou no final de abril último. A quantidade moída pelos fornecedores ligados à Asplan foi 27% inferior ao total contabilizado na safra 2011/2012, quando os mesmos fornecedores moeram 3 milhões e 280 mil toneladas de cana. Ano passado, a Paraíba moeu 6,7 milhões de toneladas de cana. A quantidade foi 21,7% maior que a registrada este ano.

As perdas, segundo o presidente da Asplan, Murilo Paraíso, estão diretamente relacionadas à grande seca que abalou a região Nordeste. “Em 2012 fomos surpreendidos pela seca. Houve um desarranjo na nossa produção. Estamos convivendo com a falta de brotação e a morte de diversas soqueiras, um quadro que praticamente não aconteceu na safra anterior. Temos produtores que chegaram a ter 50% de perda em seus campos. A situação é crítica”, justifica Murilo Paraíso.

Segundo o Departamento Técnico da Asplan (Detec), 95,45% dos fornecedores ligados à associação é formado por micro e pequenos produtores. “Isso reforça o que sempre dizemos que a maior parte dos plantadores de cana da Paraíba são micro e pequenos produtores e, mesmo com perdas, chegamos a uma quantidade que representa quase metade de toda a safra de cana-de-açúcar moída no Estado este ano”, destaca Murilo.

O presidente da Asplan lembra ainda que o estado paraibano detém a terceira maior produção de cana-de-açúcar do Nordeste, atrás apenas de Alagoas e Pernambuco, destacando a importância dos incentivos federais para que os pequenos produtores consigam seguir em frente. “Precisamos apoiar mais os nossos pequenos e médios produtores de cana porque são eles os que mais necessitam de ajuda nesse momento para retomar a produção”, frisa o dirigente, lembrando que a normalização das chuvas em 2013 ainda não foi suficiente para repor as perdas. A Paraíba possui um total de oito unidades industriais sucroalcooleiras, que produzem açúcar e álcool.