Secretários da Paraíba farão palestra sobre as obras do Canal das Vertentes e estudos agroclimáticos da área

canal

canalEvento, que acontece nesta quinta-feira (07) é promovido pela Asplan e direcionado, prioritariamente, para os plantadores de cana-de-açúcar, mas é aberto ao público
 
A maior obra hídrica da Paraíba já concebida nos últimos 30 anos, o Canal das Vertentes Litorâneas – Acauã-Araçagi, será tema de palestras que acontecem nesta quinta-feira (07), a partir das 10h, no auditório da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan). O secretário de Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia, João de Azevedo Lins Filho será o primeiro palestrante do dia e vai falar sobre “Recursos Hídricos e as Obras do Canal das Vertentes Litorâneas”, em seguida,  o secretário do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Rômulo Montenegro, vai abordar o tema “Estudos Agroclimáticos da Área do Canal das Vertentes”. O evento técnico é promovido pela Asplan e voltado, prioritariamente, para os associados da entidade, mas o público interessado pode assistir às exposições e participar.

Também chamada de “Complementar”, o Canal das Vertentes Litorâneas – Acauã-Araçagi, é uma exigência do governo federal para que os municípios possam receber a água que vem do Rio São Francisco. Segundo dados técnicos da obra, quando o Canal estiver pronto,  a água sairá da barragem de Acauã, percorrerá 112 km em canais e abastecerá 38 municípios paraibanos com água para consumo doméstico e para irrigação. A vazão no canal, ainda segundo os estudos técnicos, será de 10m³ por segundo até o Rio Gurinhém e 2,5m³ perto de Camaratuba, já quase no estado do Rio Grande do Norte. Isso é muita água e é um volume que servirá tanto para o consumo doméstico como para irrigar cerca de 15.500 hectares ao longo do Canal, que vai integrar e perenizar as bacias do Rio Gurinhém, do Rio Miriri, do Rio São Salvador, do Rio Mamanguape, do Rio Araçagi e do Rio Camaratuba.

Essa obra, explica o presidente da Asplan, Murilo Paraíso, é muito importante pois tem o objetivo de fornecer sustentabilidade hídrica a várias bacias que cortam o Vale do Paraíba e o Brejo, locais onde existem plantações de cana-de-açúcar.  “Essa é uma obra de grande relevância, que com certeza vai nos fornecer segurança hídrica e nós queremos saber como ela está, quando poderemos contar com esses recursos, queremos conhecer detalhes do projeto, a  política de uso dessas águas e a demanda de irrigação dos produtores que possuem plantações ao longo do canal, entre outras questões”, afirma, Murilo Paraíso, lembrando que este evento faz parte do ciclo de palestras técnicas mensais promovidas pela Asplan, através do Departamento Técnico (Detec) da entidade.