Sessão da Câmara vai debater crise no setor sucroenergético nacional

murilo mapa

murilo mapaAsplan vai participar dos debates que acontecem nesta quarta-feira (10), em Brasília

A crise do setor sucroenergético do Brasil que fechou, nos últimos 10 anos, mais de 60 indústrias sucroalcooleiras em todo o país e desempregou milhares de trabalhadores no campo com a extinção dos postos de trabalho, vai ser debatida nesta quarta-feira (10), no Plenário da Câmara dos Deputados. A iniciativa do deputado federal de Alagoas, João Henrique Caldas, da Frente Parlamentar pela Valorização do Setor Sucroenergético e da Bancada Alagoana tem o objetivo de abrir um diálogo entre a sociedade civil, especialistas e autoridades governamentais para debater a crise do setor e buscar alternativas de soerguimento de um dos setores mais importantes da economia nacional.O presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso, o vice-presidente da entidade, Raimundo Nonato e o diretor, José Inácio Moraes, vão participar das atividades, fortalecendo a mobilização em defesa do setor.

“A ideia é fazer uma grande mobilização em defesa do setor, que gera milhares de empregos, distribui renda, movimenta a economia, mantém o homem no campo, mas, que, infelizmente não tem tido o devido reconhecimento do governo federal”, desabafa Murilo Paraíso. O presidente da Asplan lembra ainda que enquanto o setor sucroalcooleiro vem enfrentando dificuldades com as secas cada vez maiores, com anos de quedas no preço da cana e o fechamento de diversas usinas pelo país afora, o Governo, ao invés de intervir para estabilizar o preço do álcool, descortinando um horizonte mais promissor para o setor, continua com uma política que quebra a indústria brasileira. “Até o momento o governo só promulgou medidas paliativas para fugir da discussão de políticas públicas que realmente ofereçam segurança energética à população brasileira. O governo precisa chamar para si a responsabilidade. Isso é indispensável para o fortalecimento da matriz energética nacional e para o aumento da oferta de etanol no país”, defende o dirigente da Asplan.

Além dos dirigentes da Asplan, estão sendo aguardadas em Brasília delegações de vários estados formadas por representantes de entidades ligadas ao setor, além de empresários da agroindústria. A expectativa é que os estados produtores de cana mais próximos de Brasília, as exemplo de São Paulo, Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais  levem caravanas em ônibus para participar da sessão. “Vamos pressionar o Congresso Nacional e o governo a encontrar uma solução para a crise do setor”, finaliza Murilo.

 “A iniciativa do deputado JHC foi de extrema valia uma vez que vai propiciar uma grande visibilidade nacional e no parlamento brasileiro da extensão dessa crise. O setor está agradecido ao deputado pela iniciativa”, declarou o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira.