Setor canavieiro terá R$ 1,4 bilhão em linhas de crédito a partir deste ano

plantil cana

plantil canaAs linhas de crédito são destinadas para desenvolver pesquisas de inovação tecnológica

As empresas envolvidas com a cadeia de plantio e processamento da cana-de-açúcar poderão obter linhas de crédito para desenvolver pesquisas de inovação tecnológica por meio de uma nova modalidade: o Plano de Apoio Conjunto à Inovação Tecnológica Agrícola no Setor Sucroenergético (PAISS Agrícola). O Plano foi lançado nesta segunda-feira (17), na sede da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), vai disponibilizar a partir deste ano e até 2018 R$ 1,4 bilhão para o setor. O dinheiro será liberado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Os recursos terão juros subsidiados de 4% ao ano, três anos de carência e prazo de dez anos para pagamento. No caso de investimentos de maior risco, os juros caem para 3,5% e a carência vai para quatro anos. A medida faz parte do Plano Inova Empresa, lançado em março do ano passado, com a intenção de aplicar R$ 32,9 bilhões em melhoramento tecnológico para ampliar a produtividade nos mais diversos setores.

O presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Murilo Paraíso, elogiou a iniciativa do Governo Federal. “A medida é muito positiva pois se constitui num aceno importante do governo no sentido de buscar uma saída para estimular o setor, que vem enfrentando, nos últimos dez anos, aumentos seguidos dos custos de produção sem que a remuneração da matéria-prima acompanhe essa evolução”, destacou Murilo. Dados da Única mostram que  nas últimas cinco safras, o custo de produção da tonelada de cana passou de US$ 15 para US$ 30.