Agentes tecnológicos da Asplan concluem parte prática do treinamento nesta sexta-feira

treinamento edvan

treinamento edvanCapacitação começou na última segunda-feira (21) e termina na segunda-feira (28) com a aplicação de uma avaliação. Agentes vão acompanhar a safra 2014/2015 nas usinas paraibanas

A segunda parte do treinamento de formação dos profissionais que atuarão como agentes tecnológicos, nas oito unidades industriais paraibanas, durante toda a safra 2014/2015,  começou ontem (23) e termina nesta sexta-feira (24). As aulas práticas estão sendo realizadas no laboratório de Sacarose da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), instalado no prédio sede da entidade, sob a coordenação do supervisor de fiscalização da Asplan, Edvam Silva. A parte teórica do treinamento foi feita pelo químico, consultor e pesquisador da Universidade Federal Rural do Pernambuco (UFRPE), Francisco Dutra Melo, nos dias 21 e 22, no auditório da associação. Na segunda-feira (28) será aplicada uma avaliação para medir o grau de aproveitamento do treinamento.

Na parte teórica, os agentes viram questões importantes do universo canavieiro, a exemplo de conceitos sobre cana-de-açúcar, seus derivados, os requisitos para ser um bom fiscal, sobre qualidade da matéria-prima e também sobre as normas institucionais e operacionais do atual sistema de pagamento da cana de açúcar pela ATR (Açúcar Total Recuperável), incluindo as novas normas da ABNT de avaliação da cana em vigor a partir de 2014. Nas aulas teóricas, os agentes receberam noções de  capacidade de organização, facilidade de relacionamento, viram detalhes dos equipamentos utilizados nas análises, a discrição detalhada das atividades, aprenderam a utilizar o livro de ocorrências, a aferir os equipamentos, além de trabalhar com o cálculo matemático dos dados de análises coletados para determinação do valor da ATR.

Na parte prática, eles aprendem a fazer a coleta das amostras, o desfibramento e homogeneização, a pesagem da matéria-prima, extração do caldo e a realização das análises, além de receberem conhecimentos sobre o sistema de processamento de dados. Edvam Silva lembra que a fiscalização é realizada 24 horas por dia, em regime de escala, porque o fornecimento de cana para as unidades industriais não sofre interrupção durante a safra.

“Essa capacitação é muito importante, uma vez que prepara esses agentes tecnológicos para realizarem o monitoramento da matéria-prima entregue pelos associados da Asplan nas indústrias do Estado, dando total segurança para nossos associados quanto ao valor pago por sua matéria-prima. Na realidade, nossos agentes atuam como monitores da qualidade da cana fornecida pelos nossos associados às unidades industriais”, destaca o presidente da Asplan, Murilo Paraíso.