Asplan promove debate sobre Norma da ABNT que uniformiza processo de avaliação do preço de pagamento de cana-de-açúcar

debate 1

debate 1A Norma foi publicada no dia 26 de março e suas regras valem para a safra 2014/2015

A Norma 16.271, homologada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas- ABNT, desde o dia 26 de março, que aperfeiçoa e uniformiza o processo de avaliação da cana-de-açúcar, foi apresentada e debatida na manhã desta terça-feira (06), entre integrantes da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) e representantes das oito unidades industrias que produzem açúcar e álcool no Estado. Válida em todo o território nacional, a Norma já poderá ser aplicada na safra 2014/2015.

O consultor técnico da Asplan, Francisco Dutra, explica que a Norma não apenas uniformizou, mas aperfeiçoou o processo de avaliação da qualidade da matéria-prima. “Toda a cadeia produtiva saiu ganhando com essa Norma, já que ela uniformizou os procedimentos técnicos e operacionais, beneficiando todo o setor, desde produtores até industriais, com regras mais claras e objetivas e avaliação da qualidade da cana”, atesta Dutra. Um destes avanços, segundo ele, foi a introdução do sistema de homogeneização das amostras para determinar sua qualidade e, consequentemente, seu valor.

Para o presidente da Asplan, Murilo Paraíso, a homologação de uma Norma Técnica, que busca aperfeiçoar o processo de avaliação da cana-de-açúcar é um fator positivo para todo o setor. “Como as novas regras valem para produtores e industriais de todo o país, e respeita os procedimentos específicos, como por exemplo, de equação de fibra e outros, a uniformização dos processos de avaliação da qualidade da cana atinge toda a cadeia produtiva o que acaba beneficiando todo o segmento”. argumenta Murilo.

O coordenador do Departamento Técnico da Asplan, Vamberto Rocha, lembra que o uso da Norma é voluntário, mas poderá ser obrigatório quando assim for exigida por instituições públicas e privadas. Participaram da reunião na Asplan, os representantes das indústrias São João, De Pádua (antiga Pemel), Miriri, Monte Alegre, Agroval, Giasa, Tabu e Japungu. Na ocasião, foi sugerido que mais reuniões desta natureza devam ser agendadas, criando-se um ‘Fórum de Contatos’ permanente, entre produtores e industriais. A proposta foi aceita pela direção da Asplan, que ficou de definir um calendário de encontros a começar já em agosto, época da pré-safra na Paraíba.