Feplana propõe aumentar CIDE da gasolina para estimular produção e consumo de combustível limpo e renovável no país

equipeDiretores da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana) tiveram uma audiência nesta terça-feira (09), em Brasília, com o Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. O objetivo do encontro foi o de tratar da necessidade da elevação da CIDE na gasolina. O presidente da Feplana, Alexandre Lima, ressaltou a importância do aumento da CIDE, como forma de garantir a competitividade do etanol, já que o governo ficou anos com o preço estabilizado da gasolina o que provocou um desastre econômico para toda a cadeia canavieira. Nos últimos anos, pelo menos 80 unidades industriais fecharam no Brasil e mais de 80 estão em recuperação judicial.

O presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan) e tesoureiro da Feplana, Murilo Paraíso, participou da audiência e saiu do Ministério entusiasmado. “O ministro disse que vai marcar uma reunião com toda a equipe econômica do governo e com o presidente da Petrobras para levar esse nosso pleito e ver da sua viabilidade”, afirmou Murilo.

Segundo Alexandre Lima, o aumento do tributo é uma forma de garantir a justa competitividade do etanol, já que o governo congelou por anos o preço da gasolina. Ainda de acordo com Alexandre, o  aumento do consumo do etanol no país, pode viabilizar o investimento de mais de US$ 40 bilhões pelo setor, além da geração de muitos empregos e ainda a garantia do cumprimento do acordo estabelecido pelo Brasil na COP 21.

O presidente do Sindicato dos Produtores de Cana de Pernambuco, Gerson Carneiro Leão, também participou da audiência e reforçou os argumentos que é mais que necessário que o governo federal reveja sua postura e adote medidas que fortaleçam o setor sucroenergético nacional. Paulo Leal, vice-presidente da Feplana, defendeu a proposta de transformar a CIDE em um Gren Tax (Taxa Verde) já existente em alguns países, que consiste em beneficiar combustíveis renováveis e taxar mais os poluentes.